terça-feira, 2 de janeiro de 2007

O Paris-Saint Germain


Contam-se pelos dedos de uma mão o número de bons jogadores que o Paris-Saint Germain teve, dos quais 90 por cento eram brasileiros.
- Weah
- Raí
- Valdo
- Ricardo Gomes
- Ronaldinho Gaúcho

Nenhum deles figura nesta imagem. O Pauleta é o único que tem pressa para começar o jogo.

O PSG é um clube que me irrita. Não muda a cor/estilo/formato/aspecto/tom do equipamento desde 1987. Nunca compra nenhum bom jogador; nunca joga bem; raramente consegue um bom resultado fora de casa; nunca ganha o campeonato francês. Também toda a gente sabe que não vão fazer nada, mas é sempre um favorito à vitória no fim. Basicamente o PSG nunca luta por nada.
Porém: O melhor avançado deles, Pedro Pauleta, está sempre muito motivado e é sempre o melhor marcador. Contudo, essa marca nunca serve para muito (serve tanto como o facto de o Meyong ter sido, o ano passado, o melhor marcador da Liga portuguesa. Se bem se lembram, na teoria, o Belenenses desceu de divisão). O PSG oscila entre duas posições: quando está bem, está em oitavo. Quando está mal, passa para 14º. Actualmente está em 16º (ver aqui).

A capacidade de recuperação deste clube é, no entanto, extraordinária. Tem sempre a capacidade de classificar-se para ir às competições europeias. Quando não é por qualificação directa, lá estão eles na Intertoto a apanhar clubes como o Zestaponi, da Georgia, BK Häcken, da Suécia, ou o Sivasspor, da Turquia (maior emoção). Quando conseguem a qualificação directa, habitualmente é porque nas duas últimas jornadas conseguiram vencer dois jogos e todos os restantes clubes perdem.

A ida à UEFA é sempre uma grande vitória para os parisienses, e não girondinos. A época salda-se de forma positiva. Tão positiva que aparece o Pauleta a dizer: "No próximo ano é a Champions. Sonho muito lá jogar"

Três notas finais:
- No Parque dos Príncipes está sempre nevoeiro.
- No Parque dos Príncipes só se joga depois das 22h30 de domingo e com pouca iluminação.
- Os jogos no Parque dos Príncipes são sempre transmitidos com o antigo grafismo do Canal +: em 16 por 9; com letras em itálico e em tons de cinzento.

BM

2 comentários:

Anónimo disse...

Li girondinos mas li mal, de certeza. Já que os girondinos são de Bordéus.


4091

EEF disse...

És bom e tens razão.
BM